A tecnologia revolucionando o gerenciamento de resíduos. Quais as principais tendências?

Tempo de leitura: 13 min

Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

A gestão de resíduos representa um grande desafio para a humanidade. O cenário atual de tanta poluição decorrente dos resíduos que ainda são destinados incorretamente, nos trouxe a uma situação alarmante. Para progredir e vencer as barreiras, o setor necessita de mudanças e inovações.

A  utilização de tecnologia para resíduos sólidos é uma tendência promissora para alcançar esse objetivo. Diante da inteligência de softwares, sensores e máquinas, as empresas conseguem modernizar operações e melhorar a eficiência do gerenciamento de resíduos.

Neste artigo, ressalto as principais tecnologias que vêm se destacando no presente e prometem revolucionar o futuro da gestão de resíduos sólidos, sendo aliadas imprescindíveis para solucionar os desafios do setor.

1. A automação da coleta de resíduos

Dada a complexidade logística envolvida na coleta de resíduos, essa atividade é, muitas vezes, pouco eficiente, possuindo limitações técnicas de tempo e custo para ser realizada. É comum empresas coletoras possuírem dificuldade em saber o momento ideal para retirar o resíduo, além de quais as melhores condições de volume armazenado e rota a ser executada.

Diante destes e outros problemas, tecnologias desenvolvidas e utilizadas para aumentar a eficiência da coleta e transporte de resíduos ocupam um lugar promissor no futuro do gerenciamento de resíduos, reduzindo significantemente o tempo e custo gastos com essa operação.

Veículos de coleta mecanizados e automatizados

Veículos de coleta vêm se tornando cada vez mais modernos e mecanizados, realizando a atividade de forma parcial ou totalmente automatizada.

É o caso  dos caminhões compactadores de carga lateral mecanizada. Equipados com um braço mecânico automatizado, o descarregamento dos contêineres ocorre de forma automática, não dependendo de um operador. Veja no vídeo abaixo como funciona.

Caminhão de coleta de lixo operando com a tecnologia mecanizada de carga lateral.

Tais veículos já vêm sendo utilizados na coleta de cidades da América do Norte e Europa, e em algumas poucas do Brasil, como Chapecó, Porto Alegre e São Paulo.

Genial, não é mesmo? Pois a  tecnologia foi além, e já existem veículos que realizam a coleta de forma 100% automatizada. Isso mesmo, sem envolver nem mesmo um motorista. É o caso do caminhão autônomo desenvolvido pela Volvo apresentado em 2017.

Trata-se de uma tecnologia de altíssimo nível, em que sensores monitoram continuamente a região próxima ao veículo, que literalmente se dirige de forma automática  aos contêineres, realizando a coleta e partindo para o próximo ponto. É realmente incrível! Confira no vídeo:

Como é a operação do caminhão autônomo teste da Volvo, em parceria com a Renova, empresa sueca de coleta de resíduos.

Outra tendência de modernização destes veículos diz respeito a consumos energéticos mais sustentáveis, reduzindo a emissão de poluentes e permitindo uma melhor eficiência mecânica. É o caso de tecnologias de veículos híbridos e elétricos, além de sistemas cada vez mais eficientes de tração, câmbio automático, etc.

O Brasil se destacou recentemente nesse contexto, onde a empresa Corpus se aliou à produtora chinesa BYD, que atua no segmento de veículos elétricos, para lançar o primeiro caminhão de coleta de lixo do mundo 100% elétrico.

Coleta subterrânea e a vácuo

Você já ouviu falar sobre o moderno sistema de coleta de lixo em Barcelona, na Espanha? 

Funciona da seguinte forma: a população deposita o resíduo segregado conforme o tipo de material em coletores instalados nas vias ou até nos seus próprios edifícios. Quando estes coletores ficam cheios, um sensor aciona a sucção, fazendo com que os resíduos sigam, por vácuo e via tubulações subterrâneas, até as centrais de coleta, onde os materiais são então compactados e armazenados em grandes contêineres. Dali, seguem para destinação final de forma 100% eficiente, otimizada e bastante tecnológica.

Essa tecnologia também já vem sendo usada em países como Estados Unidos, Canadá, Suécia e Inglaterra. No Brasil, a empresa Envac está trazendo essa tecnologia, porém o alto custo representa uma forte barreira à sua disseminação.

2. A Era Digital: o poder da conexão

Uma outra linha de tecnologias para resíduos que promete bastante é a de tecnologia da informação.

Resíduos são gerados em qualquer atividade e em todos os lugares. Por sua vez, o caminho que cada resíduo deve percorrer para garantir sua correta destinação é específico e estreito. Se os resíduos não forem rastreados, muito pouco se pode aferir sobre qual a situação atual de uma ação ou plano de gerenciamento.

A integração de tecnologias de software e hardware permitem um completo monitoramento sobre os resíduos, promovendo a tão sonhada rastreabilidade dos mesmos. A seguir, detalho melhor como isso ocorre.

Softwares online e a tecnologia da informação

Nesse contexto, o uso de softwares no gerenciamento de resíduos aparece como uma forma de solucionar este desafio.  Com a disseminação e evolução da “computação em nuvem”, softwares online se tornam cada vez mais acessíveis neste mercado, permitindo maior controle para as empresas no que diz respeito a resíduos.

homem de negócios usando um notebook para ver relatórios

Existem soluções de gestão e controle voltadas para a geração, coleta e destinação final. A tecnologia de software permite registrar todas as informações pertinentes à gestão de resíduos nestas etapas, identificando os envolvidos e otimizando processos como a solicitação de coleta, elaboração de rotas, emissão de documentos, elaboração de relatórios, etc.  Tudo isso otimiza a operação, reduzindo custos e tempo.

Além disso, permite que a gestão de resíduos seja rastreada e registrada em forma de dados. Dados estes que fornecem informações valiosas para que, tanto o setor público quanto o privado, tomem ações mais acuradas para obter uma melhor performance em resíduos.

Acredite, vivemos na era da informação e esta tecnologia terá cada vez mais espaço no segmento.

Sensores e a Internet das Coisas

A Internet das Coisas (em inglês, “Internet of Things” – IOT), é o nome dado à rede de escala global, formada por bilhões de dispositivos conectados através da internet.

Aplicar IOT ao gerenciamento de resíduos deu origem ao recente conceito de Internet of Trash, ou a Internet do Lixo.

Através de sensores inteligentes (os hardwares), obtém-se uma rede de informações em tempo real das atividades de gerenciamento de resíduos. Com essa tecnologia, é possível monitorar o volume de resíduo armazenado em recipientes e/ou veículos.

3. Tecnologias na Destinação de Resíduos

O progresso da reciclagem mecanizada

Pouco adianta ter processos de descarte, coleta e transporte eficientes enquanto a indústria de reciclagem e destinação final de resíduos não conseguir avançar na mesma ou em maior proporção.

O desenvolvimento de equipamentos e maquinários utilizados em processos de reciclagem vêm passando por diversas modernizações, trazendo melhorias consideráveis de eficiência.

Essas tecnologias já se destacam em países desenvolvidos, e estão sendo introduzidas no Brasil de forma crescente.

Atividades de transbordo, triagem, trituração, enfardamento, beneficiamento ou tratamento de resíduos são exemplos de processos que fazem uso de máquinas e podem ser beneficiados através da tecnologia. Por exemplo, uma atividade de reciclagem de plástico que se tornou 10 vezes mais rápida a partir da aquisição de maquinário.

Outro exemplo importante é o investimento em centrais mecanizadas de triagem. A cidade de São Paulo se destacou recentemente, ao implantar duas unidades mecanizadas que estão entre as maiores da América Latina, que aumentaram bastante a capacidade de reciclagem dos resíduos da cidade. Veja como elas funcionam no vídeo abaixo:

Apresentação da gestão de resíduos recicláveis da cidade de São Paulo através de suas duas centrais mecanizadas de triagem.

Tratando-se especificamente dos resíduos orgânicos, a compostagem ocorrendo de forma mecanizada traz a capacidade de viabilizar que um volume considerável destes resíduos receba o devido tratamento. Com o auxílio da tecnologia, esse processo ocorre de forma totalmente controlada e otimizada, acontecendo com sua máxima eficiência. Conheça essa aplicação.

Energia de Resíduos: as tecnologias “Waste to Energy

Resíduos são recursos, inclusive energéticos. A implantação de usinas e técnicas de recuperação energética dos resíduos vêm aumentando cada vez mais. Dependendo do volume de resíduo tratado, a energia obtida pode ser suficiente para abastecer regiões com consumo energético considerável.

A obtenção de energia a partir de resíduos pode ocorrer como:

  • Recuperação Energética: tratamentos como gaseificação, coprocessamento, incineração e autoclave permitem aproveitar o poder calorífico dos resíduos como combustível, gerando energia elétrica.
  • Aproveitamento Energético do Biogás: a decomposição de resíduos orgânicos em condições anaeróbias, ou seja, sem oxigênio, produz biogás, um gás com alto potencial energético que pode ser aproveitado em usinas termoelétricas. Essa tecnologia vem sendo utilizada em aterros sanitários, devido ao enorme volume de biogás gerado.

Um caminho para a mudança

De fato, a gestão de resíduos sólidos é bastante complexa.  O setor enfrenta desafios centrais como a enorme e crescente quantidade gerada, escassez de recursos financeiros, complicações logísticas e uma limitada conscientização social. Para mudar tal cenário negativo, as formas de pensar e agir precisam evoluir.

A aplicação de tecnologias inovadoras para o gerenciamento de resíduos vêm se mostrando uma excelente oportunidade para promover mudanças.

wall-e encostado em um caminhão
O Wall-e, personagem de um filme de animação, é um robô responsável por limpar a Terra coberta por lixo. Uma ótima inspiração sobre como a tecnologia pode ser a solução dos resíduos.

Como apresentado, são vários os processos que já vêm sendo otimizados pela tecnologia: contêineres de armazenamento, mecanização de processos de tratamento e reciclagem, veículos de coleta automática, planejamento de rotas, máquinas, acessórios, etc.

O desenvolvimento tecnológico que a humanidade alcançou é espantoso e tende a se intensificar nos próximos anos.  Se quiser progredir em larga escala, o setor de resíduos deve, impreterivelmente, acompanhar este crescimento.

Com o passar do tempo, as soluções são aprimoradas e se tornam mais acessíveis a partir de um menor custo de aquisição. Conciliar todo este potencial tecnológico com a modernização geral  e conjunta do setor pode representar a transformação da gestão de resíduos, de forma a evitar uma catástrofe ambiental.

Te convido para conhecer mais sobre os benefícios gerais que acompanham as tecnologias no post “5 motivos para modernizar seu negócio investindo em tecnologia”.  Além disso, a Residuall é uma empresa que desenvolve tecnologias específicas para o mercado de resíduos. Acesse www.residuall.com e veja como é possível conectar tecnologia com a gestão de empresas coletoras de resíduos.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
  • (31) 3166-5936
  • contato@residuall.org
  • Rua Brasilândia, 156, Bairro Serrano, Belo Horizonte - MG

© 2013-2019 Residuall. Todos os direitos reservados.